Textos



Parquímetro

Com voz pastosa, o parquímetro humano se anunciou:
- Bem guardado, dona!
Ela não tinha moedas, mas, observando que retirava do carrinho de supermercados justamente a sacola com biscoitos, ofereceu um a ele. Ouviu um palavrão, enquanto ele se afastava resmungando:
- Eu tenho é sede. Né fome, não.


Microconto inscrito no desafio Microcontos Escambau de 25/10
Nena Medeiros
Enviado por Nena Medeiros em 25/10/2017
Alterado em 25/10/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Peço citar a autoria "Nena Medeiros" e o endereço do texto.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários