Textos

Dia da Mulher, o Escambau! - Alô
Avisem Temer que é 2017. A gente lava roupa, cozinha e arruma casa porque não há igualdade. Mas somos mais do que isso. Ganhamos até presidência. E no voto!
Maria do Rosário

Recebi mensagens lindas neste Dia Internacional da Mulher. Todas exaltando o quanto somos guerreiras, fortes, inteligentes, batalhadoras, charmosas, sensuais, amorosas... Ser mulher é tudo de bom!!
O escambau!! Um passeio pelas estatísticas mostra que nossa situação está longe de ser motivo para festas: somos mais da metade da população brasileira (51,4%), representamos a maioria do eleitorado, e estudamos mais (57,98% do total de 15,5 milhões de pessoas com mais de 15 anos de instrução).
Isto não é garantia de emprego ou renda: representamos ainda apenas 42,% da força ativa de trabalho e ganhamos em média 45% menos que os homens. Ainda assim, somos a principal, quando não a única, fonte de renda de 37,7% dos lares brasileiros. 90% das mulheres que trabalham fora, despendem cerca de 4,4 horas diárias nos afazeres domésticos. Não pense que o problema se restringe às classes C e D. Dentre os profissionais com curso superior, a situação não é muito melhor: chegamos a receber 82% do salário deles e nos 300 maiores grupos privados do Brasil, os cargos executivos são ocupados pelas mulheres em apenas 11% dos casos.
Também não vamos muito bem de saúde: de acordo com dados da OMS, 69% dos partos no Brasil é feito por cesariana. A AIDS é a primeira causa de morte em mulheres jovens (entre 20 e 35 anos) e 97% das mulheres admitem não usar preservativos em todas as relações, mesmo sabendo-se traídas pelos companheiros. A falta de informação coloca o Brasil no 49º lugar em gravidez precoce e os abortos clandestinos são a 5ª causa de morte materna no país.
Dez anos depois da Lei Maria da Penha, o Brasil segue em 5º lugar no ranking de feminicídios. Uma mulher é morta a cada 2 horas no país, 132 são estupradas por mês, talvez mais, pois muitas mulheres não dão queixa, por medo ou vergonha, por desconfiarem do poder público, por desconhecerem seus direitos.
As minas na rua protestando na rua e o marido da bela, recatada e do lar primeira dama, discursa sobre nossa importância no controle de preços nos supermercados e dá o alento de que poderemos em breve retornar ao mercado de trabalho, além de cuidar dos afazeres domésticos, claro.
O escambau!!
Nena Medeiros
Enviado por Nena Medeiros em 11/03/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Peço citar a autoria "Nena Medeiros" e o endereço do texto.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários