Textos



Fogo

Foi seu olhar de labareda
Que no meu gerou faísca
E o fogo se espalhou
Crepitando o mato alto
Do meu coração tão fértil

Vontades deixavam os ninhos
Desejos saiam das tocas
E em louca disparada
Manadas de paixões intensas
Fugiam cegas das chamas

Indiferente à balbúrdia
O incêndio consumia
Tudo que não era seu
E o meu coração em brasa
Vazio já de distrações
Palpitava mansamente
Protegido em suas mãos

Quando o ardor se extinguiu
Só seu amor restava ali
Nada mais em mim lutava
Nenhuma dor sequer havia
E deu-se, então, em mim, um branco
O branco puro da paz

 

Este texto faz parte do Exercício Criativo - Deu um Branco
Saiba mais, conheça os outros textos:
http://encantodasletras.50webs.com/deuumbranco.htm
Nena Medeiros
Enviado por Nena Medeiros em 13/07/2015
Alterado em 16/07/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Peço citar a autoria "Nena Medeiros" e o endereço do texto.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários